Giulia Gam: Pensei em parar de atuar - Revista Contigo

06/06/2013 19:48

Giulia Gam conta que andou desestimulada, mas agora está a mil com seu papel em Sangue Bom

Quem vê Giulia Gam, 46 anos, fazendo sucesso todos os dias na pele da diva decadente Bárbara Ellen, da novela Sangue Bom (Globo), nem imagina o que andou se passando pela cabeça da atriz. Apesar de não faltar trabalho, já que vive emendando tramas, ela pensou em parar de atuar. “Pensei que estava perdendo o estímulo de ser atriz. Ao mesmo tempo, achei covarde isso. Talvez por ter começado muito cedo, com muita cobrança e com autocrítica exacerbada. Mas comecei com um acerto fazendo a Julieta (na peça Romeu e Julieta, de William Shakespeare, dirigida por Antunes Filho, 83, em 1984) e fica sempre aquela expectativa: será que vou acertar de novo? Deveria fazer outras coisas. Vejo que atores partem para a direção, trabalham mais com conceito, buscando outras vias de estímulo. Há outros que não. Gostam de interpretar até os 90 anos com ânimo e tesão. Mas, como tudo na vida, esse entusiasmo passa”, desabafou ela, que em 2014 completará 30 anos de profissão.

FRIO NA BARRIGA

Mas tudo mudou quando recebeu, em novembro passado, o convite para a novela de Maria Adelaide Amaral, 70, e Vincent Villari, 35. “De repente, me veio esse papel e na hora até fiquei com medo de não corresponder. Mas não podia recusar. Eu me vi de novo com frio na barriga, tremendo, entrando no estúdio nervosa. Agora sinto que estou animada outra vez. Pensei em parar, mas depois percebi que é uma viagem de ator. Acontece com qualquer profissão quando se está numa entressafra. Todo mundo pensa em comprar uma casa na Bahia, se dedicar mais à espiritualidade. Mas sou jovem para me aposentar e ator nem tem aposentadoria”, justificou.

A personagem provocou ainda outras mudanças na atriz. Por causa da sensualidade de Bárbara Ellen – que abusa de decotes e tem muitas cenas de lingerie – Giulia achou que era hora de dar uma atenção maior ao corpo. “Não era exigido que a personagem fosse uma pessoa magra. Mas queria me sentir bem. Fui para um spa e consegui perder 10 quilos em três meses com exercícios aeróbicos, pilates e natação. Bárbara me exige fôlego. Eu me sinto desafiada. Mas pode acontecer com qualquer mulher. Ela vai envelhecendo e vai se largando ou, o contrário, como aconteceu comigo. Estou me sentindo mais bonita, sim. Está todo mundo falando e a gente acredita”, brincou a atriz, que não teme a crise dos 50 anos. “Mas é estranho, 46 anos, 50... Teoricamente estou na metade do processo da vida. E já aparecem os primeiros sustinhos, como ter de usar óculos. Mas ainda não tive cabelos brancos.”

ENTRE MÃE E FILHO

Mãe de Theo, 15, com o jornalista Pedro Bial, 55, Giulia comemora a mudança na até então difícil relação com o ex-marido, com quem foi casada de 1996 a 1999. No começo de 2000, ela se viu no olho do furacão com uma batalha judicial pela guarda do filho. “Agora a gente conseguiu criar uma relação cordial. Temos um esquema de visitas, mas há o desejo dele e o do Theo. Sabia que um dia chegaríamos nesse patamar. Eu me sinto realizada com meus deveres como filha e como mãe. Estou me sentindo mais leve, em paz com o passado. Minha questão é o futuro. Brinco com a minha analista que poderia estar com 30 anos agora, com mais colágeno, com mais energia.”

Theo é, como os garotos de sua idade, de poucas palavras. Segundo a mãe, ele ainda nem a viu em seu novo trabalho na TV. A relação dele com o pai também é uma lacuna. “Acho que ele tem uma boa relação com o Pedro. A gente não conversa muito sobre isso. É o jeito de ele se defender de uma casa e de outra. Acabou ficando assim”, lamentou Giulia, que chegou a ficar dois anos sem a guarda do filho. “Foi um período muito difícil da minha vida. Graças a Deus, passou”, disse a atriz, que morou em Nova York depois da separação, mas sempre via o filho mesmo com a guarda sendo paterna.

Solteira desde julho passado, quando terminou seu relacionamento com o professor universitário americano Stephen Bocskay, 37, Giulia admite estar aberta a conhecer novas pessoas. “Não estou em um relacionamento sério, como se diz na rede social. Estou conhecendo várias pessoas interessantes que passeiam por aí”, explicou ela, que acredita que talvez seja a hora de namorar alguém da sua área. “Faz parte da minha defesa namorar pessoas fora da área artística. Gosto de pessoas de outros meios, que me levam a outros mundos. Agora seria legal namorar um ator ou um diretor, mas ficar só falando de trabalho é ruim”, ponderou. A pressão para arranjar um novo par é grande, garante. “A mulher, se não está com alguém, se sente uma solteirona. Há esse conceito na sociedade, de não conseguir alguém por não ter capacidade. Com o homem isso não acontece. Acham o máximo um de 50 solteiro. A cobrança em cima da mulher é grande. Não me incomoda, mas há uma expectativa.”

NOVO APARTAMENTO

Além das gravações da novela e do filho, Giulia se ocupa com a casa. Ela se mudou no começo do ano para um confortável apartamento no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro. “Gosto de decorar a casa, mas não de resolver problemas domésticos, como vazamentos e administrar pessoas. Passaria essa parte e, por isso, gosto tanto de hotel também”, opinou.

Fonte: Revista Contigo

Arquivo: Bia*

Para ver a revista, clique aqui.