Giulia Gam: 'Queria um final estelar’

22/10/2013 01:07

Com 'Sangue Bom' na reta final, atriz sente falta de Bárbara e diz como imaginou o fim da personagem

Ela aprontou tudo que podia – e não podia – e ainda apoiou as armações da filha, Amora (Sophie Charlotte), em “Sangue Bom”. Mas, no fim, a pergunta que fica é: como não amar Bárbara Ellen? Faltando poucos dias para se despedir da loira, Giulia Gam comemora o sucesso de seu primeiro papel cômico na TV.

“O que foi bacana é que os autores, Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, já escreveram o papel pensando em mim e isso nunca tinha acontecido comigo. E a Bárbara tinha de acontecer, até porque ela tem uma função forte na trama”, afirma a atriz, que frisa ser bem diferente de Bárbara. “Fico feliz por ter mostrado um lado que nunca trabalhei em novela. Fiz muita coisa de época, por escolha minha. Digo que meu primeiro papel de jeans foi a Heloísa, de ‘Mulheres Apaixonadas’. Mostrar essa faceta foi surpreendente.”

Nessa busca pelo sucesso, no penúltimo capítulo de “Sangue Bom”, Bárbara Ellen vai para um reality show, o “AQPC - A que Ponto Chegamos”. Lá, ela,  Vitinho (Rodrigo Lopez), Tito (Rômulo Neto), Mel (Carla Salle) e outros sarados e gostosas são confinados.

E, quando questionada sobre os motivos que a levaram a participar do programa, ela explica: “Para nós, é como fazer laboratório 24 horas por dia! Com certeza se Stanislavsky estivesse vivo, recomendaria realities aos atores! E Lee Strasberg também!”.

Com toda a loucura que cerca a perua, Giulia defende um fim leve para Bárbara. “Acho que as pessoas queriam um fim engraçado para ela, vê-la dando a volta por cima, apesar das armações. Eu a imagino  no Paraguai, lendo bola de cristal ou num cruzeiro bem vagabundo, fazendo show, como uma vedete. Mas essa coisa do reality também é legal, pela questão da celebridade que a novela tanto abordou. Queria um final estelar para ela.”

Giulia ainda não sabe como ficará sem Bárbara e dá sugestões para adiar a despedida. “Apesar de cansada, não queria me desfazer dela. A Bárbara representa tanta coisa. Poderia continuar num programa ou numa série.”

Fonte: http://goo.gl/0XaZ5x