Repertório Shakespeare: elenco de 14 atores reveza tragédia e comédia

12/11/2015 20:55

Na abertura do programa do projeto Repertório Shakespeare , em cartaz no SESC Vila Mariana, uma frase do personagem Duque (Medida) sintetiza a obra de William Shakespeare: “Vamos ver se o poder muda com os homens ou os homens com o poder”.
Parece escrita hoje e sobre o Brasil! Esta é a grande razão das peças do dramaturgo britânico, criadas no século XVI, serem tão atuais e fazerem tanto sucesso. Shakespeare discute as questões essenciais e intrínsecas do ser humano, como amor, ódio, traição, ambição, fidelidade, luta pelo poder, verdade, mentira, vida e morte. E o projeto do diretor brasileiro Ron Daniels (nascido em Niterói/RJ e radicado em Nova York há décadas) justapõe duas peças de gêneros opostos para se completarem: a tragédia Macbeth e a comédia Medida por Medida:

“São peças que refletem sobre como lidamos com o nosso amor, nossa vida e nosso medo da morte e também como exercemos o poder e governança. São duas peças sensacionais, com uma dramaturgia vigorosa e cheia de vitalidade, com narrativas que abrangem tanto a ação quanto a metafísica, e que são capazes de proporcionar um verdadeiro gozo de teatro”, explica Ron Daniels.

Macbeth Para contar a história do general que ao voltar triunfante de uma guerra encontra criaturas misteriosas que profetizam que em breve será coroado rei, o diretor optou por um tom mais austero, ao som de guerra. Macbeth é convencido pela mulher a matar o rei e como os herdeiros fogem por sentirem-se ameaçados, Macbeth é coroado e seu reinado é marcado por violência e derramamento de sangue. Por ter traído e matado o soberano, Macbeth vive atormentado por seus remorsos, estando sempre alerta para ataques e traições.

Medida por Medida Já para narrar a trajetória de um vilarejo que na paz transformou-se num grande bordel, Daniels investiu em tons vivos e alegres (a peça começa com o elenco vestido com fantasias carnavalescas e balões de festa sendo soltos). Com o objetivo de conter a corrupção e a imoralidade, o Duque retoma uma lei que pune os abusos. Resolve se afastar do poder por um tempo, deixa que seu substituto, um homem puritano e rígido, assuma as rédeas do povoado, mas se disfarça de frei para fiscalizar tudo à distância.

Daniels procura sintetizar as duas obras e sua concepção cênica:

 

“Na tragédia Macbeth há uma velocidade vertiginosa na qual um herói se transforma em um monstro assassino. Já a comédia política Medida por Medida é mais solta, mais anárquica, um redemoinho urbano em que figuram personagens da rua, dos bordéis, da sarjeta”, esclarece o diretor.

 

O questionamento provocado pelas obras de Shakespeare é sempre enriquecedor e a tradução das duas peças, assinada em parceria entre o diretor e Marcos Daud, deixa as tramas ainda mais próximas do espectador de hoje. A concepção de unir o trágico e o cômico num mesmo projeto — até o final da temporada paulistana serão 44 apresentações, sendo 22 de cada peça — também é outro ponto a se ressaltar de Repertório Shakespeare, que fecha a temporada teatral 2015 com brilhantismo.

Fotos: João Caldas

Fonte: http://goo.gl/01RAIs